Arroz integral doce

Ingredientes:

  • 300g de arroz integral (2 xícaras de chá) cozido com 2 litros de água
  • 1 litro de leite integral
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 vidro de leite de coco
  • 4 colheres (de sopa) de coco ralado
  • uva passa (umas 40 unidades)
  • 3 colheres grandes de açúcar mascavo
  • 1 copo de água
  • canela cascas (um punhado)
  • canela em pó a gosto

20170625_212801.jpgDicas de como preparar: 

  1. Costumo deixar o arroz de molho durante uma hora, mais ou menos, para retirar algum resíduo, e depois enxaguar;
  2. Demora 20 minutos para que comece a funcionar a pressão da panela. Depois disso, marcar 20 minutos para cozinhar. Desligar, esperar acabar a pressão, abrir a panela e experimentar. Se estiver ainda com água e o arroz meio duro, deixar no fogo mais um pouco;
  3. Uso uma panela de pressão com capacidade para 4,5 litros, portanto, depois de cozido o arroz, tenho que passar para outra panela maior (nº 24);
  4. Nessa segunda panela, junte ao arroz cozido os três tipos de leite, o coco ralado e as uvas passas e mexer sempre porque costuma grudar no fundo, principalmente ao final do processo. Deixe no fogo por uns 20 minutos. Quando o caldo estiver mais grosso, retirar uma prova. Quando considerar que está bom, desligue a panela;
  5. Em outra panela, a terceira, colocar o açúcar mascavo, a água e a canela em cascas e levar ao fogo mexendo de vez em quando. A colher para medir o açúcar mascavo pode ser aquela que usamos para servir o arroz. Quando a calda estiver pronta (tipo calda ou caramelo), coar sobre a panela  com o arroz e demais ingredientes, retirando os pedaços da casca da canela;
  6. Misturar bem. Gosto de passar para esses copinhos da foto porque fica prático para levar à geladeira e para servir. Rende 20 copinhos. Servir com canela em pó. 20170625_211648.jpg

20170625_211902

 

LEXOGRAFIA POSITIVA

Um projeto do pesquisador Tim Lomas, da Universidade do Leste de Londres,  batizado Lexicografia Positiva, quer capturar os diferentes “sabores” de sentimentos positivos (alguns são bem amargos) encontrados pelo mundo, para que possamos começar a incorporá-los em nosso cotidiano.

Lomas identificou centenas dessas experiências “intraduzíveis” – e está apenas começando.

Essas palavras não possuem correspondente direto em inglês, mas representam experiências emocionais precisas, negligenciadas na língua mais importante do mundo. E se Lomas estiver no caminho certo, talvez elas em breve se tornem mais familiares.

Aprender essas palavras, afirma ele, pode nos oferecer um entendimento mais rico de nós mesmos. “Elas oferecem uma maneira bem diferente de ver o mundo”, diz Lomas, que afirma ter se inspirado após ouvir uma palestra sobre o conceito finlandês de sisu, que é um tipo de “determinação extraordinária diante da adversidade”. Segundo finlandeses, as ideias de “perseverança” e “resiliência” não chegam nem perto de descrever a força interior contida nesse termo local. É algo “intraduzível” nesse sentido: não ha equivalente direto ou fácil no vocabulário do inglês que capture essa profundidade do termo.

Intrigado, Lomas começou a buscar mais exemplos, entre amigos estrangeiros e na literatura acadêmica. Os primeiros resultados do projeto foram publicados em 2016 no periódico Journal of Positive Psychology.

  • Muitos dos termos se referiam a sentimentos positivos bem específicos, que dependem de circunstâncias particulares:
  1. Desbundar (português) – abandonar as inibições para se divertir;
  2. Gigil, do talago (Filipinas) descreve a vontade irresistível de beliscar ou apertar alguém muito querido e amado;
  3. Iktsuarpok (inuíte – esquimós) – a ansiedade sentida ao esperar por alguém, aquela de ficar sempre checando se a pessoa já chegou;
  4. Kilig, do tagalo (Filipinas) é uma tremedeira nervosa ao falar com alguém de quem se gosta;
  5. Mbuki-mvuki, do bantu (África) é aquela vontade irresistível de tirar as roupas enquanto dança;
  6. Schadenfreude, do alemão, é o prazer derivado do fracasso alheio;
  7. Shinrin-yoku (japonês) – o relaxamento que vem de um banho na floresta, em sentido figurado ou literal;
  8. Tarab (árabe) – um estado de êxtase ou encantamento induzido pela música;
  9. Uitwaaien, do holandês, define os efeitos revitalizantes de uma caminhada ao vento;
  10. Yuan bei (chinês) – um senso de realização completa e perfeita;

 

  • Outras palavras representam experiências ainda mais complexas e amargas, que podem ser cruciais ao nosso amadurecimento.
  1. Natsukashii (japonês) – um sentimento nostálgico de falta do passado, com alegria pela lembrança, mas tristeza pelo tempo que não volta mais;
  2. Saudade (português) – uma nostalgia melancólica por uma pessoa, lugar ou coisa que está longe no tempo ou espacialmente – um desejo vago por algo que pode nem existir;
  3. Sehnsucht (alemão) – um desejo intenso por estados alternativos de vivência e realizações da vida, mesmo que sejam inatingíveis;
  4. Wabi-sabi (japonês) – uma “sublimidade desolada e obscura”, centrada na transitoriedade e imperfeição na beleza. Curtir o esplendor das flores de cerejeira.
  • Além dessas emoções, a lexicografia (redação e produção de dicionários) de Lomas também enumerou características pessoais e comportamentos que podem determinar nosso bem-estar de longo prazo e modos como interagimos com outras pessoas:
  1. Dadirri (aborígene australiano) – um ato profundo e espiritual de escutar de forma reflexiva;
  2. Desenrascanço (português) – livrar-se de uma situação embaraçosa de maneira criativa;
  3. Orenda (huron) – poder humano de mudar o mundo diante de forças poderosas como o destino;
  4. Pihentagyú (húngaro) – significa literalmente “com o cérebro relaxado” e descreve pessoas de pensamento ágil que trazem piadas ou soluções sofisticadas;
  5. Sukha (sânscrito) – felicidade genuína e duradoura, independentemente das circunstâncias.

Há muitos outros exemplos no site de Lomas, onde você também pode submeter suas próprias sugestões de palavras. O pesquisador reconhece que muitas das descrições que oferece até agora são apenas aproximações dos significados verdadeiros dos termos. “O projeto é um trabalho em aberto, e estou permanentemente tentando refinar as definições. Comentários e sugestões das pessoas são muito bem-vindos.”

No futuro, Lomas espera que outros psicólogos possam investigar as causas e consequências dessas experiências – para ampliar nossa compreensão das emoções para além dos conceitos em inglês que dominaram as pesquisas até agora.

Fonte: http://www.bbc.com/portuguese/vert-fut-39311897

 

Bolo de Maçã e Castanha do Pará

Ingredientes:

  • 50g de castanhas do Pará picadas finas
  • 3 ovos
  • 50g de açúcar
  • 2 maçãs pequenas (Gala) raladas com a casca de modo grosseiro
  • 100g de farinha de trigo integral
  • 50g de farinha de arroz integral
  • 1 colher (de sopa) de fermento em pó químico Royal
  • 20 uvas passas
  • margarina ou óleo de coco para untar a forma
  • Açúcar demerara e canela para polvilhar

 

Modo de Preparo:

  • Acenda o forno para aquecer.
  • No liquidificador, bata as castanhas do Pará picadas, os ovos, o açúcar e as maçãs raladas.
  • Acrescente as farinhas e bata novamente.
  • Junte as uvas passas e o fermento e bata ligeiramente.
  • Em uma assadeira com furo no meio, Resultado de imagem para assadeira de aluminio com furo no meiountada com margarina ou óleo de coco, coloque a mistura do bolo.
  • Asse em forno pré-aquecido entre 180 a 250ºC (dependendo se o dia estiver mais quente ou mais frio) por 50 a 60 minutos. Testar com um palito que deve sair quase seco. O bolo fica ligeiramente úmido.
  • Depois de assado, espere esfriar, passe nas laterais da forma de alumínio uma espátula tipo pão duro Imagem relacionadae vire emConjunto de Assadeira Terrina Redonda Rasa Grande com Tampa - 6 Peças - Marinexuma assadeira tipo Marinex.
  • Salpicar por cima do bolo o açúcar demerara e a canela.

O bolo fica ainda mais saboroso no dia seguinte.

Propriedades nutricionais de alguns ingredientes do bolo:

  1. Castanha do Pará: contém vitaminas do complexo B, vitamina E, zinco, magnésio, cálcio, potássio e selênio. Fonte: http://saudenacomida.com.br/beneficios-propriedades-castanha-do-para/
  2. Ovo: A albumina está contida principalmente na clara e é uma proteína tem alto valor biológico. A clara também dispõe de leucina, um aminoácido que ajuda a manter os músculos e diminui a massa gorda (gordura).
    A gema, por sua vez, é rica em ômega 3, gordura excelente para o cérebro e que estimula o equilíbrio da insulina com a glicose, mais um fator para regular a compulsão e a resistência insulínica, que é o maior fator de risco para a Síndrome Metabólica. Ela também age no combate da anemia.
    http://www.minhavida.com.br/alimentacao/materias/4349-coma-um-ovo-por-dia-para-ganhar-musculos-e-perder-gordura
  3. Maçã com casca: rica em fibras, antioxidantes, taninos, flavonóides e pectina e vitaminas do complexo B, vitaminas C e E. Fonte: http://ciclovivo.com.br/noticia/conheca_10_beneficios_da_maca/